E na casa da vovó pode tudo?

avoNão, atualmente na casa da vovó não pode tudo. Em tempos modernos, onde vivemos o resgate da vovó, a mãe com açúcar deu espaço para uma cuidadora cheia de amor e de responsabilidades, que vão desde a educação até o acompanhamento escolar”, ressalta Keila Cristiuma, idealizadora do projeto Sempre Materna.

Sinal verde

Primeiros socorros: A maior contribuição que as avós podem dar é ajudar os filhos a manterem a calma, essencial nesses casos. Sem desespero, pai e mãe saberão o que fazer para socorrer o bebê;

Massagem: Com ela é possível relaxar, mostrar segurança e, ainda, ajudar no desenvolvimento físico e psicológico do bebê. Além disso, essa proximidade aumenta o vínculo afetivo entre avó e neto;

Audição: O bebê adora que cantem para ele. Ao ouvir a voz da vovó, ele se familiariza com ela e fica tranquilo com sua presença;

Linguagem: Contar histórias é prática que, além de aumentar o vínculo entre avó e neto, contribui com o desenvolvimento da fala infantil.

Sinal vermelho

Desrespeitar as ordens: que os pais deram aos filhos. Portanto uma conversa é fundamental para que não haja mágoas;

Opinar sobre os cuidados com o bebê: tentando colocar em prática a forma que fez com seus filhos;

Passar 24h na casa da filha ou nora: sem respeitar a intimidade do casal;

Interferir: quando os pais estão educando a criança;

Brigar: com os filhos na frente dos netos.

* Texto de Keila Cristiuma, idealizadora do projeto Sempre Materna

http://semprematerna.uol.com.br/