2º MÊS DE GESTAÇÃO – 5ª À 8ª SEMANAS

Aparecem os primeiros sintomas, a grande descoberta é realizada e é hora de começar o pré natal.

 A Mãe

É nesta fase que a maioria das mulheres descobrem que estão grávidas, os sintomas se intensificam. Enjoos, náuseas e vômitos, fadiga e sonolência, dor abdominal, alteração no paladar, aversão a alguns alimentos e desejo por outros, aumento da vontade de urinar, olfato aguçado e salivação abundante são alguns dos mais comuns. A alteração nas mamas é mais comum em mulheres que já apresentavam aumento e desconforto no período pré menstrual.

Os hormônios chegaram: O estrógeno e a progesterona são os responsáveis por todas essas mudanças e muitas outras mais que estão por vir.

É o momento de procurar um ginecologista obstetra para iniciar o pré natal. O pré natal é fundamental durante toda a gestação ele garante uma gestação e um parto saudáveis.

Na primeira consulta o médico irá pedir alguns exames, os exames do pré-natal, eles podem provocar certa ansiedade e preocupação, mas também deixam os pais mais tranquilos sobre a saúde do bebê.

6-semanas-gestacao

Reprodução – Ilustração site Baby Center Brasil

A primeira bateria de exames inclui:

Hemograma completo

Detecta anemia e infecções. Esse exame dever realizado mensalmente durante a gestação.

Glicemia

Útil para detectar intolerância à glicose e diabete. Será repetido na 26ª semana de gravidez, quando o corpo apresenta mais dificuldade para assimilar o açúcar.

Sistema ABO e fator Rh

Verifica o tipo de sangue e se o fator Rh é positivo ou negativo. Caso a mulher seja Rh negativo e o homem Rh positivo, há o risco de o corpo dela produzir anticorpos contra o sangue do bebê. Com esse exame, é possível impedir a produção dos anticorpos com medicação específica.

HIV (vírus da imunodeficiência humana)

Mostra a presença do vírus que causa a aids.

Sorologia para rubéola

Avalia se a mulher tem imunidade contra o vírus da rubéola (extremamente grave para o feto), seja por vacina, seja por ter tido contato com a doença.

Reação para toxoplasmose

Acusa se a grávida já teve alguma infecção causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Esse microorganismo pode provocar danos nos nervos e na visão do feto.

VDRL

Essa é a sigla significa algo como pesquisa laboratorial de doença venérea. Como o nome denuncia, é útil para detectar problemas como a sífilis. A bactéria por trás desse mal, a Treponema pallidum, pode provocar aborto, parto prematuro e más-formações caso a mãe seja portadora do microorganismo.

Sorologia para hepatite B e C

Mostra a presença dos dois tipos de vírus.

 Sorologia para citomegalovírus

Indica se a paciente já foi infectada ou não pelo vírus.

 Urina

Revela a presença de uma eventual infecção urinária também pode ser útil na detecção de proteínas em gestantes hipertensas – o que indica a presença de pré-eclampsia. Também é válido para o acompanhamento de grávidas diabéticas.

 Fezes

Verifica se há parasitas no intestino.

Ultra-sonografia no início da gravidez

O Embrião (neste momento ele ainda é um embrião)

No embrião, é o momento em que a cabeça se forma, o coração pulsa forte (visível no ultrassom) e as pernas crescem. Ainda é muito difícil visualzá-lo. Sua coluna vertebral inicia a formação, seguida do cérebro e da medula espinhal.

Cabeça, tórax e abdome são os próximos. Vasos Sanguíneos se unem ao cordão umbilical e a placenta, que por sua vez será responsável por toda nutrição do embrião e pelo fortalecimento do vínculo entre e mãe e o bebê.

Apenas 20 milímetros. Esse é o tamanho do bebê no fim do seu segundo mês de gestação. Ele continua minúsculo – menor do que um feijãozinho –, mas o crescimento está a todo vapor. A barreira placentária já é bastante eficiente, selecionando tudo o que chega ao embrião. Mesmo assim, a mãe deve evitar ingerir alimentos, bebidas e medicamentos que possam prejudicá-lo.

O baço, a traqueia, a laringe e os brônquios começam a tomar forma. A pontinha do nariz e as dobras das pálpebras acabam de aparecer, delineando as feições. Ele já tem ombros e os braços cresceram um pouco. Aliás, praticamente tudo o que notamos num ser humano já está presente no embrião. Por isso, dentro de alguns dias, ele estará pronto para ingressar no período fetal.

Fontes:

Vida en el Vientre – National Geographic
Grávida e Bela – Dra. Carla Goés Sallet – Ediouro
Gerar e Nascer – Um canto de amor e aconchego – Dr Moises Chenscinski – Polén Editorial
www.brasil.babycenter.com
www.brasil.babycenter.com 
www.guiadobebe.com.br

www.bebe.com.br