3º MÊS DE GESTAÇÃO – 9ª À 12ª SEMANA

O perigo maior de abortos já passou é hora de começa criar o vínculo intrauterino (vínculo mãe & bebê)

A partir do 3 ª mês a “confirmação” do estado gestacional fica cada vez mais presente através do corpo da mãe, neste momento a gestante já escolheu seu obstetra, já fez os exames, recebeu orientações para manter uma gestação saudável, e a maioria dos sintomas estão acabando é o momento ideal para começar trabalhar o vínculo, trabalhar os aspectos psicológico de uma gestação e da formação de uma vida, é o momento da mãe entrar em sintonia consigo mesma e com seu bebê, receber apoio do pai e da família.

Desde o 1º trimestre o bebê se mexe e emite sinais de que está lá, presente e participando, louco para começar a se comunicar com a mãe. Logicamente que neste momento a mãe pode e deve participar de uma maneira passiva, ou seja, a mulher se dá conta do que está acontecendo, contudo toma isso apenas como uma reação natural e biológica.

Infelizmente a sociedade humana perdeu muito dos instintos animais e já não consegue perceber alguns, sons, cheiros, e movimentos. Muitas fêmeas do reino animal possuem o dom de saber que foram fecundadas no momento em que se dá a fecundação e até de saber quando irão parir, porém a gestante humana só vai começar a perceber seu bebê por volta do 2º semestre.

A criança não é um ser inerte durante a vida intra-uterina. Ela, possivelmente, ainda está num estado especial de consciência, o qual não temos meios de aferir com exatidão, mas com certeza, está interatuando com o meio exterior.

A “nave”, onde vive o bebê desde que foi gerado, poderá ser para ele um mundo tranqüilo, seguro, um verdadeiro paraíso, ou então um mundo hostil, angustiante, onde ele recebe estímulos negativos que o deixam inquieto, inseguro e infeliz. Essa condição, qualquer que seja, irá, sem dúvida, repercutir no futuro, após o nascimento, e o bebê dará a sua resposta.

Reprodução - Ilustração site Baby Center Brasil

Reprodução – Ilustração site Baby Center Brasil

O Feto

Os olhos, que antes ficavam nas laterais da cabeça, já se aproximaram um do outro. As orelhas estão quase na posição normal. O fígado produz bile e os rins secretam urina na bexiga.

O feto se mexe se alguém cutuca a sua barriga, mas a mãe ainda não consegue sentir os movimentos dele. As células nervosas fetais se multiplicam rapidamente, e as sinapses (conexões neurológicas no cérebro) estão se formando. 

O bebê adquiriu mais reflexos: se alguma coisa encosta na palma da mão, os dedos fecham; se alguma coisa encosta na sola do pé, os dedos se curvam; e, se alguma coisa encosta nas pálpebras, os músculos dos olhos se contraem.

Agora, que a gestante está entrando no segundo trimestre, acaba não tendo como fugir das roupas mais folgadas.

A mãe

Todo o organismo da mulher começa a se modificar. Pode ser que comece a aumentar a circunferência da cintura e ocorra uma distensão abdominal, porém o tamanho do útero ainda é discreto.

O peso deve estar estável, embora os seios comecem a pesar e a quantidade de sangue no corpo se avolume gradativamente a partir dessa etapa.

Os rins se modificam para dar conta da filtragem dos líquidos.

Fontes:

Vida en el Vientre – National Geographic
Grávida e Bela – Dra. Carla Goés Sallet – Ediouro
Gerar e Nascer – Um canto de amor e aconchego – Dr Moises Chenscinski – Polén Editorial
www.brasil.babycenter.com
www.guiadobebe.com.br
www.bebe.com.br