Intolerância à Lactose em Crianças

Toda mãe sabe da importância do seu filho beber leite durante a fase de crescimento, pois essa bebida é rica em proteínas e também em cálcio. No entanto, algumas crianças tomam o leite e logo em seguida apresentam uma série de reações, como diarreia, coceira ou espirros. Esses sintomas são um indício que a criança é intolerante á lactose.

De acordo com o nutrólogo André Veinert, da Clínica Healthme – Gerenciamento de Perda de Peso, pesquisas indicam que cerca de 8% das crianças até três anos de idade, possuem intolerância à lactose. “Muitos pais não associam os sintomas que a criança apresenta com o consumo de leite de vaca. Na maioria dos casos, a principal dificuldade é a falta de informação”, afirma.
Além disso, muitos pais ainda confundem a intolerância á lactose com uma alergia alimentar. “É possível diferenciar esses dois problemas observando os sintomas. Se a criança tem apenas uma alergia ela pode ter dificuldade em respirar, inchaço nos olhos e nos lábios, espirros e tosses. Caso seja intolerância é possível que criança sinta fortes dores abdominais, diarreia, gases e um grande desconforto”, explica o nutrólogo.

A intolerância à lactose não chega a ser considerada uma doença. Ela é provocada pela falta da lactase, enzima responsável pela digestão do açúcar do leite (lactose) e de seus derivados. “Nestes casos, a lactose chega ao cólon (intestino grosso) intacta, se acumulam e são fermentadas pelas bactérias que vivem no local, formando ácido lático e alguns gases. A junção desse gás e do ácido são os responsáveis pelos sintomas como náuseas, diarreia, inchaço, entre outros”, ressalta o Dr.André.

Foto Reprodução - Imagem Google

Foto Reprodução – Imagem Google

Por que algumas crianças são intolerantes à lactose?

Muitas crianças desenvolvem essa intolerância a partir de doenças que prejudicam o funcionamento do intestino delgado, causando uma escassez da enzima lactase e a principal causa é genética. “Outras doenças crônicas como doença celíaca, doença de Crohn ou infecções parasitas também podem contribuir para o desenvolvimento da intolerância” diz o nutrólogo.

Em alguns casos, não tem uma causa específica, algumas crianças ao atingir a idade de três a seis anos, o seu corpo naturalmente passa a produzir menos lactase.

Tratamento

O tratamento irá depender do resultado da avaliação médica.  Algumas crianças são capazes de tolerar alguma quantidade de lactose e outras não. “Uma simples dieta de baixa lactose, ou seja, uma alimentação com pouquíssimos derivados de leite podem resolver o problema. Existem alguns medicamentos e enzimas para reposições que também pode ajudar na digestão da lactose. Em outros casos quando a criança é sensível a quantidades pequenas de lactose, ela deverá evitar leite e derivados”, esclarece o nutrólogo Dr.André.

O uso de suplementos á base enzimas digestivas já é uma alternativa para quem tem intolerância. Atualmente, já existem no mercado suplementos de enzimas digestivas que melhoram a digestão das proteínas, diminuindo os sintomas.

A lactase pode ser consumida por meio de pastilhas mastigáveis, em pó, comprimidos ou cápsulas que pode ser encontrada em farmácias convencionais ou de manipulação e lojas de produtos naturais. Esses produtos devem ser consumido seguindo o modo de uso indicado na embalagem ou de acordo com orientação médica. Porém, o método mais efetivo ainda é uma dieta restrita em leite e derivados, que ameniza os sintomas e muitas vezes fazem desaparecer o problema.

Lancheira saudável

Para não ficar na dúvida sobre quais alimentos o seu filho podem consumir, o nutrólogo André Veinert listou os principais alimentos que não podem faltar no prato do seu filho. Confira:

• Vegetais de cor verde-escura como brócolis, couve, agrião;

• Repolho, nabo e peixes de ossos moles como o salmão e sardinha, mariscos e camarão;

• Suco com extrato de soja;

• Frutas naturais;

• Sanduíche de pão sírio integral com blanquet de peru, alface e tomate;

• Massas e cereais: observar se na composição dos pães e massas não incluam leite e seus derivados.

Fonte:  André Veinert – Nutrólogo, da Clínica Healthme – Gerenciamento de Perda de Peso 

Site – www.healthme.com.br

Veja também: