Macarrão instantâneo – um vilão no prato das crianças

miojo

Com a seletividade de muitas crianças para comer e com a vida corrida de muitas mães, os alimentos industrializados e pré prontos estão cada vez mais presentes na alimentação dos pequenos. O excesso de gordura, principalmente saturada, sódio, realçadores de sabores, aromatizantes artificiais e conservantes são os principais vilões desse tipo de alimento.

Tenho presenciado muitas amigas oferecendo macarrão instantâneo, o popular miojo, com frequência para seus filhos

Para quem não sabe o macarrão instantâneo é frito industrialmente para poder cozinhar rápido nas nossas casas, contém gordura saturada e   é o alimento com maior quantidade de sódio encontrada dentre os produtos industrializados mais consumidos no Brasil. Em média, um pacotinho de 85 g, preparado com tempero, chega a ter 2.721 mg da substância, mais do que o recomendado para um dia inteiro – o limite diário para o consumo de sódio é de 2.400 mg por pessoa, de acordo com o Ministério da Saúde ¹.

Conversamos com a nutricionista Elaine de Pádua e perguntamos por que a ingestão frequente de macarrão instantâneo pode ser prejudicial à saúde,

Segundo a nutricionista: “Os famosos macarrões instantâneos são riquíssimos em gordura saturada e sódio. Muitas crianças consomem esse alimento mais de uma vez por semana, substituindo uma refeição completa e saudável composta por cereais integrais, leguminosas, carnes, legumes e verduras por uma opção mais prática e com baixo valor nutricional.

O sódio, mineral presente no sal, em excesso é apontado pelos médicos como o principal vilão da pressão alta, doença que tem relação direta com problemas como o AVC (acidente vascular cerebral) e infartos. Nos alimentos industrializados, a substância é usada para aumentar o prazo de validade.

Existem outras maneiras de consumir macarrão, de melhor qualidade, com sabor agradável e muito mais nutritivo.

Uma estratégia para diminuir o consumo desse alimento é substituí-lo por macarrão, preferencialmente integral, refogado com tempero caseiro (composto por ervas, azeite de oliva, cebola, alho) e legumes (cenoura, brócolis, tomate, beterraba, abóbora, rúcula, couve-manteiga e entre outros). A escolha vai de acordo com a disponibilidade dos alimentos em casa.

Nesse tipo de preparação, os pais podem acrescentar caldo de feijão para incrementar e deixar o molho do macarrão mais grosso; carne moída ou picadinho de carne, ou frango em iscas, ou desfiado, ou filé de peixe assado em pedacinhos, para complementar com uma fonte proteica. Com certeza, com essas modificações, os pais garantirá uma refeição mais completa e nutritiva para os filhos.”

 É como diz o ditado: “o barato sai caro”, e nesse caso podemos dizer que o prático e rápido sai muito caro. Como instruiu a nutricionista, vale a pena perdemos um tempinho a mais na cozinha e prepararmos um alimento mais nutritivo e saudável para nossos filhos.

E deixo uma dica para as mamães de primeira viagem de filhos que ainda não começaram com a introdução de alimentos – “O gosto alimentar do seu filho vai depender muito dos hábitos alimentares que você criar nele.

Dê sempre preferência a alimentos saudáveis e nutritivos, tome muito cuidado com o sal e o açúcar, não sou nenhuma xiita, mas acho que não há necessidade de oferecermos doces, gorduras, frituras para crianças na primeira infância, com certeza em um dado momento de suas vidinhas eles terão contato com os brigadeiros, salgadinhos, balas, refrigerantes, mas a mãe não precisa dar chocolate para o filho de 7 meses para vê-lo “lambuzadinho” e nem colocar refrigerante na mamadeira. Tudo tem a hora certa.

Em casa sempre oferecemos para Manu alimentos saudáveis, e ela só come “bobeiras” quando pede, o que por sua vez é raríssimo, e tenho certeza que é raro por não incentivarmos, oferecermos, e nem substituirmos alimentos “bons” por “ruins” quando ela negou-se a se alimentar.

Não proibimos nenhum alimento mas não incentivamos e nem oferecemos alimentos industrializados, fast food, guloseimas, etc. Conclusão: Tenho em casa praticamente a garota brócolis.

(1) fonte: R7.com.br

 Elaine de Pádua – nutricionista – mãe da Isabela

Pós-Graduada em Nutrição Funcional, Especialista em Adolescência e Obstetrícia

Autora do livro: “O que tem no prato do seu filho? – Um guia prático de nutrição para os pais”, Editora Alles

www.dnanutri.com.br