Sete dicas para as crianças curtirem o carnaval

Redação: Cia Materna/ Saúde em Pauta

Pediatra dá orientações sobre cuidados com a saúde dos pequenos durante os dias de folia.

Carnaval e verão, uma combinação perfeita para a meninada curtir muito os dias de folga e o clima quente. Sinônimo de diversão para eles e vigilância para os pais. Segundo Maria da Glória Neiva, pediatra e diretora médica da Clínica da Primeira Idade, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, nesta época do ano o calor intenso pode trazer alguns malefícios para o bem-estar das crianças. “O número de atendimento das emergências aumenta, principalmente por conta dos casos de viroses sazonais, desidratação, intoxicação alimentar, por causa da ingestão de comida contaminada ou acidentes domésticos”, ressalta a médica.

Reprodução - Imagem Google

Reprodução – Imagem Google

Para evitar que a folia vire um pesadelo, a pediatra listou alguns cuidados que os pais devem ter com a saúde dos filhos durante o verão e os dias de carnaval.

1.    Sombra e água fresca

A desidratação é um dos problemas mais comuns no verão entre as crianças.  A perda de líquidos e sais minerais do corpo é intensa pelo suor – principalmente durante a exposição ao sol ou quando os pequenos fazem alguma atividade física – pela urina, diarreia ou vômito. Uma garrafa de água é companhia certa para quem vai sair nos blocos de carnaval. O importante é oferecer constantemente líquidos, optar sempre por locais arejados e com sombra e vestir a meninada com fantasias leves e claras.

2.    Abuse do filtro solar

Para as crianças é aconselhado aplicar o filtro solar 30 minutos antes de se expor aos raios solares. A insolação também é um alerta para os pais. “Ela não ocorre somente pela exposição constante e prolongada ao sol. A irradiação de calor também é muito prejudicial ao bem-estar das crianças, podendo provocar dor de cabeça, náuseas, tontura, hipertermia e falta de ar, chegando à perda de consciência”, alerta Glória. Evite que seus filhos tomem sol entre 10h e 16h, pois, além de evitar queimaduras, você previne a insolação.

3.    Xô, coceira!

O calor e a umidade fazem de qualquer ambiente um lugar ideal para o desenvolvimento de fungos, por isso, nesta época do ano é comum o aparecimento das doenças de pele, como micoses. O cuidado serve para pracinhas e parques que, em meio a areia, podem conter fezes de cães e gatos, que também causam contaminação. Oriente para que seu filho fique sempre calçado, não coloque as mãos no chão e as leve à boca e sempre faça uma boa higienização antes de ingerir alimentos.

4.    Eca, comida estragada!

Fique atento às condições de preparo, armazenamento e refrigeração e à data de vencimento desses alimentos que você consume com seu filho durante o carnaval. Segundo Glória, o calor intenso é favorável para a decomposição imediata. “As bactérias se desenvolvem rapidamente diante do calor excessivo. Evite consumir alimentos com maionese, molhos e frios em lugares não confiáveis. A ingestão de alimento contaminado pode causar intoxicação ou gastroenterite”, revela a pediatra. Mas não é só a comida que representa perigo, a água também pode prejudicar a saúde do seu filho. Por isso, opte por ingerir sempre água mineral e lave bem as garrafas que armazenam o líquido em casa.

5.    Proteção contra os mosquitos

O verão é caracterizado pelo forte calor durante o dia e, à tarde, pancadas de chuva. Locais que acumulam água podem se tornar criadouro de mosquitos, entre eles o da dengue. Dessa forma, sempre tenha em mãos repelentes para reforçar a proteção dos pequenos e evite o acúmulo de água em recipientes.

6.    Vacinas

Para quem vai viajar e curtir o carnaval longe de casa é importante ficar atento à vacinação. Algumas doses são obrigatórias para os viajantes, como é o caso da febre amarela. Oriente-se com o pediatra do seu filho e caia na folia com as crianças protegidas.

7.    Pulseira de Identificação

É comum a euforia infantil nesta época do ano e para garantir a segurança das crianças, identifique-os com uma pulseira, crachá ou cartão que contenha as informações do responsável legal, como nome completo, telefone e endereço.

Fonte: Dra. Maria da Glória Neiva, pediatra e diretora médica da Clínica da Primeira Idade

Veja também: